PROGRAMA DE EXERCÍCIOS NA REDUÇÃO DO IMPACTO DA OSTEOPOROSE NA SINDROME DA FRAGILIDADE

Autores

  • Ana Carolina Mello Alves Rodrigues Programa de Pós-graduação em Neurologia (UFF), Universidade Federal Fluminense, Niterói/RJ, Brasil. Fisioterapia, Centro Universitário FIPMOC, Montes Claros/MG, Brasil.
  • Rodolpho Cesar Reis Tinini Instituto de Ciências Agrárias, Universidade Federal de Minas Gerais, Av. Universitária 1000, Universitário, Montes Claros/MG, Brasil.
  • Nádja da Silva Cruz Programa de Pós-graduação em Neurologia (UFF), Universidade Federal Fluminense, Niterói/RJ, Brasil.
  • Ely Carlos Pereira de Jesus Centro Mais Vida de Referência em Assistência à Saúde do Idoso - Eny Faria De Oliveira – CRASI, Universidade Estadual de Montes Claros, Montes Claros/MG, Brasil.
  • Keilla Silva Mendes Durães Centro Mais Vida de Referência em Assistência à Saúde do Idoso - Eny Faria De Oliveira – CRASI, Universidade Estadual de Montes Claros, Montes Claros/MG, Brasil.
  • Vanessa Freitas Souto Fisioterapia, Centro Universitário FIPMOC, Montes Claros/MG, Brasil
  • Luciana Colares Maia Centro Mais Vida de Referência em Assistência à Saúde do Idoso - Eny Faria De Oliveira – CRASI, Universidade Estadual de Montes Claros, Montes Claros/MG, Brasil. Medicina, Universidade Estadual de Montes Claros, Montes Claros/MG, Brasil.
  • Amanda Gabrielle Ribeiro Fisioterapia, Centro Universitário FIPMOC, Montes Claros/MG, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.36692/V16N1-3

Resumo

INTRODUÇÃO: A osteoporose caracteriza-se pela diminuição da densidade óssea e degeneração microscópica dos ossos, aumentando a fragilidade e a propensão a fraturas, afetando cerca de 50% das mulheres com idade ≥50 anos. A avaliação pelo IVCF-20 é crucial para identificar as alterações clinico-funcionais decorrentes da fragilidade e osteoporose, associado a prática de exercício físico para melhora da funcionalidade, mobilidade e qualidade de vida dos idosos. OBJETIVO: O objetivo do estudo foi comparar o efeito do exercício no índice de vulnerabilidade clínico-funcional de idosas frágeis e com osteoporose.  MÉTODOS: Vinte idosas do sexo feminino com diagnóstico de osteoporose, atendidas no Centro de Referência em Assistência à Saúde do Idoso - Eny Faria De Oliveira – CRASI, foram avaliadas por meio do IVCF-20 antes e depois de 10 sessões de fisioterapia. Os 8 domínios que compõem o IVCF-20 foram analisados individualmente. RESULTADOS: Nossos resultados mostram que os 10 atendimentos promoveram melhoras, porém sem diferença significativa nos domínios do IVCF-20 pré e pós-tratamento. CONCLUSÃO: O presente estudo mostra que um programa de exercícios com o fisioterapeuta é capaz de promover melhoras nas atividades de vida diárias, cognição, humor e mobilidade de pacientes idosas com osteoporose. Contudo, para alcançar resultados significativos na saúde é necessário maior tempo de tratamento.

Downloads

Publicado

2024-02-10

Edição

Seção

Artigo Original