AUMENTO PONDERAL E INCIDÊNCIA DE DIABETES NO CONTEXTO ORGANIZACIONAL DE TRABALHO APÓS O TRANSPLANTE RENAL

Autores

DOI:

https://doi.org/10.36692/V16N1-19

Resumo

Introdução: A Doença Renal Crônica (DRC) é uma deterioração progressiva e irreversível da função renal, na qual a capacidade do corpo para manter a homeostasia metabólica e hidroeletrolítica, falha. Objetivo: Avaliar o aumento ponderal e a incidência de diabetes no contexto organizacional de trabalho após o transplante renal. Método: Trata-se de um estudo descritivo, documental e retrospectivo, com abordagem quantitativa. Resultados: Houve predominância do sexo masculino, procedentes do interior do estado, possuíam companheira, com o 2º grau completo. Constatou-se um predomínio de causas indeterminadas que levaram a doença renal crônica com 37% seguido de glomerulopatias crônica com 25,2% dos casos. Observou-se que a maioria dos receptores, tinham realizado hemodiálise, 

Biografia do Autor

  • Natalicy Felix Feitosa , Clínica de Diálise de Baturité

    Possui graduação em Enfermagem pela Faculdade Metropolitana da Grande Fortaleza(2019)

  • Rita Mônica Borges Studart , Universidade de Fortaleza - UNIFOR

    Possui graduação em Enfermagem pela Universidade de Fortaleza (UNIFOR), Especialização em Nefrologia pela Universidade Federal do Maranhão, Especialização em Médico Cirúrgico pela Universidade Estadual do Ceará, Mestrado em enfermagem pela Universidade Federal do Ceará, Doutorado em enfermagem pela Universidade Federal do Ceará. Docente Adjunto do Curso de Enfermagem da Universidade de Fortaleza (UNIFOR); Docente do Mestrado Profissional em Tecnologia e Inovação em Enfermagem (MPTIE/UNIFOR); Docente do Curso de Especialização em Terapia Intensiva da Universidade de Fortaleza; Docente do Curso de Especialização em Nefrologia da Universidade Estadual do Ceará. Atualmente é enfermeira assistencial da Unidade de Terapia Intensiva (Alta Complexidade em Transplante). Coordenadora da Residência Multiprofissional em Transplantes do Hospital Geral de Fortaleza. Participa do Diretório de Grupos de Pesquisa CNPq. Líder do Grupo de Estudo e Pesquisa Tecnologia e Inovação (GEPTI); Coordenadora do Núcleo de Estudo e Pesquisa em Inovação e Tecnologia (NEPIT). Orientadora de Bolsista de Iniciação Científica do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PBIC), do PIBIC da Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FUNCAP) e do Programa Voluntário de Iniciação Científica (PAVIC/UNIFOR).Tem experiência na área de Enfermagem na Promoção de Saúde na área Hospitalar atuando principalmente nos seguintes temas: Enfermagem em Terapia Intensiva; Enfermagem em Centro Cirúrgico; Enfermagem em Nefrologia; Transplante de Órgãos e Tecidos.

  • Aglauvanir Soares Barbosa , Universidade Estadual do Ceará - UECE

    Doutoranda em Saúde Coletiva, na Universidade Estadual do Ceará (UECE). Membro do Grupo de Estudo e Pesquisa sobre Doença Renal (GepRim), da Universidade Estadual do Ceará. Mestre em Enfermagem, pela Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB). MBA em gestão, inovação e serviços de saúde, pela Pontifícia Universitária Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS). Enfermeira Estomaterapeuta pela Universidade Estadual do Ceará (UECE). Especialista em Enfermagem em Terapia Intensiva pela Universidade de Fortaleza (UNIFOR). Graduação em Enfermagem pela Universidade de Fortaleza (UNIFOR). Professora do Centro Universitário Católica de Quixadá (Unicatólica). Membro do Grupo de Pesquisa em Tecnologias, Processos Clínicos e Laboratoriais em Saúde (GPROLS - Unicatólica). Membro do Grupo de Estudo e Pesquisa Tecnologia e Inovação Enfermagem (GEPTIE - Unifor); Membro do Núcleo de Estudo e Pesquisa em Inovação e Tecnologia (NEPIT). Tem experiência em Enfermagem na Promoção de Saúde na área Hospitalar atuando principalmente nos seguintes temas: Gestão em Enfermagem; Enfermagem em Terapia Intensiva; Feridas e Estomias; Enfermagem em Centro Cirúrgico e Enfermagem em Captação e Transplante de Órgãos (rim e fígado).

  • Stefany Pawer Teles Cabral , Hospital Geral de Fortaleza - HGF

    Sou Enfermeira, graduada pela Universidade de Fortaleza- UNIFOR em 2012. Especialista em nefrologia (2014), trabalhei em uma clínica de hemodiálise de 2012 a 2020. Especialista em Ginecologia e Obstetrícia (2018), com experiência na área de ginecologia. Mestra pela Unifor ( Mestrado Profissional em Tecnologia e Inovação em Enfermagem) na linha de pesquisa da nefrologia,(autocuidado com acesso vascular) . Atualmente trabalho em um hospital do estado do Ceará, no setor de transplante renal desde abril/2014. Trabalho em uma Clínica de Enfermagem - Clienf, onde faço consultas de enfermagem e exame preventivo (papanicolau).

  • Leandro Rodrigues de Sena , Universidade de Fortaleza - UNIFOR

    Mestrando em Tecnologia e Inovação em Enfermagem pela Universidade de Fortaleza (MPTIE/UNIFOR), bolsista (CAPES/COFEN). Especialista em Pesquisa e Inovação em Saúde da Família pela Universidade Federal do Ceará (UFC/UNASUS). Graduado em Enfermagem pelo Centro Universitário do Nordeste (UNIFANOR). Professor da Faculdade Paulo Picanço (FACPP). Membro do Comitê de Ética em Pesquisa da Faculdade Paulo Picanço (CEP/FACPP). Interesse acadêmico em temas relacionados à Promoção da Saúde, Saúde da Criança, Saúde do Binômio Mãe-Bebê, Freio Lingual, Aleitamento Materno, Biossegurança e Tecnologias em Saúde.

  • Lia Borges Cavalcante , Hospital dos Servidores do Estado Pernambuco

    Médica pela Faculdade de Medicina de Olinda. Monitora Saúde da Mulher (2018-2019). Membro fundadora da Liga Acadêmica de Imunologia Clinica e Alergologia LAICA (2018-2019).

  • Sanndy Rhuanny Braz Muniz , Universidade de Fortaleza

    Possui ensino-medio-segundo-graupelo Colégio Batista Santos Dumont(2015) e aperfeicoamento em assistente administrativo pelo Centro Brasileiro de Cusos(2014). Tem experiência na área de Enfermagem. 

  • Luiz Filipe Barbosa Martins , Faculdade Paulo Picanço - FACPP

    Graduado em Odontologia (2010) pela Centro Universitário Católica de Quixadá (UNICATÓLICA). Possui mestrado em Odontologia (2014), área de concentração em Odontopediatria, especialista em Saúde Coletiva e da Família (2016) e doutorado em Odontologia (2018), área de concentração em Odontopediatria pela Faculdade de Odontologia de Piracicaba da Universidade Estadual de Campinas (FOP-UNICAMP). Pós-Doutorado em Biofotônica Aplicada às Ciências da Saúde pela Universidade Nove de Julho (UNINOVE). Especialista em Aleitamento Materno Faculdade Unyleya (UNYLEYA). Especialista em Harmonização Orofacial e Ortodontia pela Faculdade Paulo Picanço (FACPP) (2023). Docente da Faculdade Paulo Picanço (FACPP). Habilitado em Laserterapia pela São Leopoldo Mandic (SLMandic - Campinas-SP). Participa do Diretório de Grupos de Pesquisa CNPq. Líder do Grupo de Estudo e Saúde Coletiva. Coordenador do Núcleo de Pesquisa na Primeira Infância. Fundador da Projeto Língua Solta da Faculdade Paulo Picanço (FACPP). Orientador de Bolsista de Iniciação Científica do Programa Institucional de Bolsas da Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FUNCAP) e do Programa de Iniciação Científica da Faculdade Paulo Picanço (PIC/FACPP). Interesse acadêmico em temas relacionados a Odontopediatria, Saúde da Criança e do Adolescente, Binômio Família-Bebê, Dentística, Prevenção e Promoção de Saúde, Epidemiologia, Terapias de Regressão da Doença Cárie, Remineralização, Biomateriais e Biomodificação da Dentina, Tecnologias em Saúde, Fotobiomodulação, Terapia Fotodinâmica Antimicrobiana e Harmonização Orofacial.

Downloads

Publicado

2024-03-17

Edição

Seção

Artigo Original