PROJETO DE EXTENSÃO CAÇADORES DA ALEGRIA: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA

Autores

  • Amanda Lima Franco
  • Francisco Erismildo de Aguiar Junior
  • Agostinho Rodrigues Mesquita Neto
  • Natália do Nascimento Ferreira
  • Tainá Crisóstomo Nunes
  • Daniele Sutherland Wallauer Rizziolli
  • Pedro Paulo Monteiro Sales
  • Rafaela Vieira Saggin
  • Ana Maria Ramos Miranda
  • Eliezer Barbosa

DOI:

https://doi.org/10.36692/V16N1-25

Resumo

 Introdução: Demonstrar de forma descritiva um relato de experiência na participação do Projeto Caçadores da Alegria pelo ponto de vista de um monitor, analisando como a mesma corroborou na sua formação acadêmica em um curso de medicina, a contribuição para população atendida, assim como o desempenho da palhaçoterapia, humanizando a relação médico-paciente. Metodologia: o procedimento na escrita do relato de experiência teve um processo descritivo observacional. Foram coletados de forma oral dados longitudinais dos 20 acadêmicos aprovados no processo seletivo, descrevendo suas atividades e quantificação das ações realizadas por documentos de frequência e aceite da instituição de ensino e hospitalar. Resultados: verificou-se apenas pontos positivos com o projeto, as contribuições para a construção de uma visão realista de pacientes internados, principalmente crianças, buscando tratar a pessoa e não a doença. As contribuições das atividades mostraram resultados como aprendizado do atendimento humanizado ao discente, introdução da palhaçoterapia aos internados e vivência na prática de atividades teóricas. Construção do sorriso como fuga de um ambiente repleto de tristeza. Porém, os pontos negativos da pesquisa foram as dificuldades em encontrar hospitais que aceitassem o projeto, documentação burocratizada requerida, tempo de aceite e processos lentos em acurácia de documentos. Conclusão: quanto aos objetivos do trabalho, demonstra-se a necessidade de aplicar atividades de extensão na graduação, como papel social vendo as demandas da população. A proposta da palhaçoterapia é de suma importância para momentos de escape das mazelas, assim como para o acadêmico se mostrar mais humano. 

Downloads

Publicado

2024-03-01

Edição

Seção

Artigo Original