CONSUMO ALIMENTAR HABITUAL DE NEFROPATAS HEMODIALÍTICOS DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE EM BELÉM - PARÁ

Autores

  • Priscila Matos de Pinho Costa UFPA https://orcid.org/0000-0001-8087-9518
  • Joelma de Abreu Furtado UNINASSAU / BELÉM
  • Geisa Paula Xavier Gavinho UNINASSAU / BELÉM
  • Mariana Andreza Malcher Pena UNINASSAU / BELÉM
  • Ana Raquel Marigliani Nunes UFPA
  • Rosileide de Souza Torres FHCGV
  • Aldair da Silva Guterres FHCGV

DOI:

https://doi.org/10.36692/V16N2-29

Resumo

Objetivo: Avaliar o consumo alimentar habitual de pacientes renais crônicos em tratamento hemodialítico. Métodos: Estudo transversal, descritivo/observacional e analítico, realizado com 55 pacientes com doença renal crônica que realizavam hemodiálise no Hospital Divina Providência, em Marituba - Pará. Foram investigadas variáveis relacionadas ao perfil epidemiológico, socioeconômico, alimentar e estilo de vida. A pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética, sob o parecer nº 815.631/14. Aplicou-se o teste qui-quadrado, com nível de significância de 5% e utilizou-se o programa BioStat versão 5.0. Resultados: 50,91% eram do sexo masculino, 61,82% eram adultos, com idade média de 53 anos, 49,09% apresentavam nível de escolaridade compatível com EFI, 45,45% eram ex-tabagista e 3,64% usavam bebida alcoólica. Quanto a frequência de consumo alimentar, os alimentos in natura/minimamente processados mais consumidos diariamente foram: Arroz 79,63%, leite e farinha ambos com 55,56%. Apenas 20% consumiam frutas e 14% hortaliças. O consumo semanal de proteína animal foi principalmente de carne vermelha com 83,33%. Quanto aos alimentos processados, constatou-se consumo diário de pão e açúcar ambos com 61,11% e consumo semanal em 50% de tapioquinha. Dentre os ultraprocessados destaca-se o consumo diário de margarina em 48,15% e industrializados em 14,81% além do consumo semanal de embutidos em 18,52%. Conclusão: As inadequações encontradas no estilo de vida e consumo alimentar podem influenciar negativamente na recuperação, prognóstico e qualidade de vida do paciente.

Downloads

Publicado

2024-05-21

Edição

Seção

Artigo Original