IDENTIFICAÇÃO DE PARÂMETROS RELACIONADOS AO MONITORAMENTO DO QUADRO ANÊMICO EM NEFROPATAS EM UM HOSPITAL PÚBLICO DE REFERÊNCIA, BELÉM-PA

Autores

  • Priscila Matos de Pinho Costa UFPA https://orcid.org/0000-0001-8087-9518
  • Karoliny Christiny Torres Risuenho UNINASSAU / BELÉM
  • Aldineia Augusta Sosinho Lobato UNINASSAU / BELÉM
  • Ana Carolina Nascimento Casseb da Silva UNINASSAU / BELÉM
  • Ana Raquel Marigliani Nunes UFPA
  • Edson Raimundo Raiol Barros SESPA
  • Ana Marta de Souza Lima UNAMA
  • Rosileide de Souza Torres FHCGV
  • Gianne de LaRocque Barros Warken FHCGV
  • Marly Lobato Maciel FHCGV.
  • Patrícia Bentes Diniz FHCGV
  • Kelly Layla da Silva Guterres FHCGV
  • Max Monteiro Costa FHCGV
  • Aldair da Silva Guterres FHCGV

DOI:

https://doi.org/10.36692/V16N2-13

Resumo

Objetivo: Identificar parâmetros relacionados ao monitoramento do quadro anêmico em nefropatas em tratamento hemodialítico em um hospital público de referência em Belém-PA. Método: Trata-se de um estudo observacional, transversal e analítico realizado com pacientes de ambos os sexos cadastrados no programa de hemodiálise no Setor de Terapia Renal Substitutiva na Fundação Hospital de Clinicas Gaspar Vianna. Aplicou-se um questionário estruturado e o Recordatório Alimentar e verificaram-se os exames bioquímicos. Resultados: Foram avaliados 31 pacientes, a maioria do gênero feminino (54,84%), com idade média de 54+18 anos. A maioria dos avaliados foram adultos (51,61%), possuíam comorbidade associada a doença renal (93,55%), sendo a Hipertensão a de maior prevalência (44,83%), diagnóstico de anemia (77,42%), receberam algum tipo de informação relacionada a prevenção e controle da anemia (93,55%), tiveram orientação de nutricionista (87,10%)  e faziam uso de medicação para tratamento (90,32%). A maior parte apresentou parâmetros bioquímicos alterados, abaixo do preconizado: hemácias (67,74%), hemoglobina (74,19%), hematócrito (70,97%) e ferro sérico (41,94%). A ferritina estava acima dos valores recomendados (67,74%). Quanto ao consumo de alimentos, constatou-se ingestão de vísceras (9,68%); carnes em geral e ovos (100%); leguminosas (67,74%); consumo de frutas ricas em vitamina C (38,71%); alimentos inibidores da absorção de ferro (100%) além da não ingestão de bebida alcoólica (100%). Conclusão: O perfil alimentar estava inadequado, o que influencia negativamente no controle do quadro anêmico. A maioria recebeu orientação alimentar sobre anemia e fez uso de medicamentos para o tratamento.

Downloads

Publicado

2024-05-20

Edição

Seção

Artigo Original