USO DE ANTIPSICÓTICOS DE AÇÃO RÁPIDA NO MANEJO DE CRISES PSIQUIÁTRICAS AGUDAS

Autores

  • Guilherme Cerqueira Martins Moraes
  • Isadora Fontenelle Carneiro de Castro
  • Gustavo Moreira Marques
  • Laís Albuquerque Borges
  • Sindy Maria Menezes Dourado
  • Gabriel Maia da Silveira Leão
  • Saul Felipe Oliveira Véras
  • Renato Rego da Silva
  • Maria das Graças Gazel de Souza
  • Mariana Carla Santos Rossini
  • Renata Bovi Borba
  • Ivo Gabriel de Souza Machado
  • Gabriel Moreira Lima Bomfim Macedo
  • Ana Carolina Almeida Mauadié

DOI:

https://doi.org/10.36692/V16N2-23R

Resumo

Pacientes em crise psiquiátrica correm perigo de causar prejuízos a si mesmos e aos outros, requerendo um atendimento de urgência eficaz e apropriado. Objetivo: Este estudo teve como propósito revisar as diretrizes no Brasil para lidar com crises psiquiátricas em situações de emergência e discutir a conduta apropriada após a crise. Métodos: Realizamos uma pesquisa bibliográfica em bases de dados online, utilizando termos como “crise psicótica”, “situação de emergência psiquiátrica”, “diretrizes”, “tratamento” e “cuidados pós-crise”. Resultados: As diretrizes brasileiras recomendam o uso de antipsicóticos de segunda geração durante a crise aguda, juntamente com medidas de contenção física e cuidados de suporte. Após a crise, é indicado acompanhamento psiquiátrico, terapia ocupacional e apoio social e familiar. Conclusão: Lidar de forma apropriada com crises psiquiátricas é essencial para evitar danos e promover uma melhor qualidade de vida aos pacientes. O tratamento deve ser personalizado e seguir as diretrizes brasileiras, com ênfase especial nos cuidados pós-crise. As crises psiquiátricas, como episódios de psicose, mania ou depressão grave, podem ser momentos turbulentos e perigosos tanto para o indivíduo que as vivencia quanto para aqueles ao seu redor. Nesses momentos, a necessidade de um atendimento de urgência eficaz e apropriado torna-se crucial para garantir a segurança e o bem-estar do paciente.

Downloads

Publicado

2024-04-01

Edição

Seção

Artigo de Revisão