REPERCUSSÃO DA DENGUE NO SISTEMA NERVOSO

Autores

  • Pedro Augusto Barbosa Silva Discente na Universidade Federal de Jataí (UFJ)
  • Amanda Ricardo Petta Discente no Centro Universitário Campo Real
  • Antonio Zacarias Batista Costa Júnior Discente na Universidade de Franca - UNIFRAN
  • Camilla Ariete Vitorino Dias Soares Discente na Universidade Nove de Julho
  • Cinthia Tomoe Tatibana Tsutsui Discente no Centro Universitário das Américas (FAM)
  • Gemerson Clemenson da Silva Discente na Universidade Federal de Pernambuco - Centro acadêmico de Vitória
  • Inah Silva Athayde Gomes Discente no Centro Universitário Metropolitano da Amazônia (UNIFAMAZ)
  • Izadora Maria Santana da Costa Discente na Universidade Tiradentes (UNIT)
  • Larychelle de Pinho Antunes Egressa -UNIVAG - Centro Universitário de Várzea Grande
  • Lucas Vedovato Nicola Egresso - União das Faculdades dos Grandes Lagos (UNILAGO)
  • Marcela Luiza Lauth Discente no Centro Universitário de Brusque (UNIFEBE)
  • Mayara Leal Jaccoud Discente no Centro Universitário do Distrito Federal (UDF)
  • Rafaela Cardoso De Souza Discente na Universidade do Estado do Amazonas (UEA)
  • Thiago de Lima Rodrigues Discente na Faculdade de Medicina de Taubate (UNITAU)

DOI:

https://doi.org/10.36692/V16N2-36R

Resumo

O vírus da dengue é transmitido pelo mosquito  Aedes aegypti infectado. É uma das arboviroses mais presentes no mundo. Nota-se um aumento do número de casos no Brasil nos últimos anos, chegando há mais de 4 milhões de prováveis casos de dengue notificados apenas até o período de abril de 2024. As manifestações clínicas vão desde da forma assintomática, formas leves até complicações graves como choque e alterações neurológicas e morte. O objetivo do trabalho é analisar as possíveis manifestações da dengue no sistema nervoso central. Trata-se de uma revisão narrativa dos últimos 5 anos utilizando a base de dados: Medline, Índice Bibliográfico Espanhol em Ciências da Saúde (IBECS) e Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde(LILACS), somado a isso foi utilizado os dados do DATASUS referente às notificações registradas no sistema de informação de agravos de notificação da dengue no Brasil, do período de 2019 até o dia 29/04/2024. Evidenciou-se que a dengue pode apresentar manifestações neurológicas, principalmente, as encefalopatias e encefalite, além disso pode apresentar outras complicações, tal como mononeuropatia, síndrome de Guillain-Barré e encefalomielite disseminada aguda. Nessa perspectiva, notou-se a variedade de manifestações clínicas que a dengue pode acarretar no sistema nervoso, sendo importante medidas de prevenção e tratamento de suporte para evitar essas possíveis complicações.

Downloads

Publicado

2024-05-19

Edição

Seção

Artigo de Revisão