BLOQUEIO INTERCOSTAL E SEUS RISCOS

Autores

  • Beatriz Baptistella Cortez Teixeira da Rede
  • Viviane Chicourel Hipólito Rodrigues
  • Rafael Xavier França
  • Joanderson do Nascimento Silva
  • Cícero Fontenelle
  • Sirleila Dantas Canário
  • Milla Cristina Moura Batista
  • Dramilly Rusciolelli Fourny Andrade
  • Carolina Wogeley Oliveira Silva
  • Heloisa Silva Leal
  • Anna Lethycia Machado Ramos
  • Gustavo Moreira Marques
  • Gabriella de Brito Malcher Melo
  • Anna Beatriz Assis Lima
  • Loyane Gomes Alves Stenzel

DOI:

https://doi.org/10.36692/V16N2-26R

Resumo

O bloqueio intercostal é uma técnica anestésica regional que envolve a injeção de anestésico local entre as costelas para bloquear a dor torácica e abdominal. É frequentemente utilizado em procedimentos como cirurgias de tórax, abdome e mama, além de para o manejo da dor crônica.  O anestésico local bloqueia a transmissão dos sinais de dor dos nervos intercostais para a medula espinhal, aliviando a dor na região torácica e abdominal. Existem diferentes tipos de bloqueio intercostal, cada um com suas características e aplicações específicas. Os mais comuns incluem: Bloqueio paracostal: O anestésico é injetado entre a costela e o músculo intercostal.Bloqueio paravertebral: O anestésico é injetado próximo aos corpos das vértebras.Bloqueio epidural torácico: O anestésico é injetado no espaço epidural, próximo à medula espinhal.Como em qualquer procedimento médico, existem riscos associados ao bloqueio intercostal, o sagramento é raro, mas pode ocorrer se a agulha atingir um vaso sanguíneo, como também a infecção é rara, mas pode ocorrer se a técnica asséptica não for rigorosamente seguida.É importante ressaltar que os riscos do bloqueio intercostal são geralmente baixos, especialmente quando realizado por um profissional experiente e em um ambiente adequado. As técnicas e tecnologias modernas minimizam ainda mais os riscos e aumentam a segurança do procedimento.

Downloads

Publicado

2024-04-01

Edição

Seção

Artigo de Revisão