IMPACTO DA CIRURGIA CARDÍACA DE EMERGÊNCIA EM PACIENTES ONCOLÓGICOS: UMA ANÁLISE RETROSPECTIVA

Autores

  • Matheus De Moraes Cestari
  • Maria Clara De Oliveira Martins
  • Vinicius Augusto Rocha Pompermayer
  • Kailany Becker Antonio
  • Lucas Nico Thom
  • Bruno Cavalcante Frota
  • Renata Ferreira De Oliveira
  • Lucas Gabriel Skerratt Suckow
  • Anny Sibelly Dias Cury
  • Rodrigo Cury Machado
  • Onelia Alyne Bonelli
  • Pedro Moraes Caixeta
  • Juarez Abadia Caixeta Filho

DOI:

https://doi.org/10.36692/V16N2-29R

Resumo

A combinação de doenças cardíacas e câncer representa um desafio significativo para o manejo clínico, especialmente em cenários de emergência. Pacientes oncológicos que necessitam de cirurgia cardíaca de emergência (CE) enfrentam um risco aumentado de morbi-mortalidade, exigindo uma avaliação cuidadosa dos riscos e benefícios potenciais do procedimento.Embora a mortalidade seja elevada, a sobrevida em pacientes oncológicos submetidos à CE não é desprezível. Estudos demonstram que a taxa de sobrevida em 1 ano varia entre 20% e 50%, dependendo dos fatores de risco mencionados anteriormente.A CE em pacientes oncológicos apresenta um cenário desafiador, com alta mortalidade, mas também com a possibilidade de sobrevida para um número significativo de pacientes. A seleção criteriosa de pacientes, a comunicação interdisciplinar e o suporte paliativo são elementos essenciais para o manejo adequado dessa complexa comorbidade. Por outro lado a gente ver e perceber no ato da cirurgia o AVC (Acesso Venoso Cental) em pacientes oncológicos, no nosso artigo vamos abordar essa realidade.

Downloads

Publicado

2024-04-01

Edição

Seção

Artigo de Revisão