TÁTICAS EMERGÊNCIAIS E CIRÚRGICAS AVANÇADAS NO TRATAMENTO DO CÂNCER GINECOLÓGICO

Autores

  • Anny Sibelly Dias Cury
  • Matheus De Moraes Cestari
  • Rodrigo Cury Machado
  • Onélia Alyne Bonelli
  • Ana Laura Pina Lima
  • Thamyres Macedo Do Nascimento
  • Mauricio Sério De Paula
  • Vanessa Albert
  • Rafaela Vieira Campos
  • Beatriz Alves Vendramel Tonani
  • Eduardo Oliveira Da Silva
  • André Lucas Lima Bezerra
  • Gabriel Oliveira Franco

DOI:

https://doi.org/10.36692/V16N2-11

Resumo

O câncer ginecológico abrange diversos tipos de tumores que se desenvolvem nos órgãos reprodutivos femininos, como útero, ovários, trompas de Falópio, vagina e vulva. Apesar de relativamente raros, esses tumores podem ser extremamente agressivos, exigindo intervenção médica imediata e especializada.Palavras-chave: Integralidade em saúde. Regionalização. Acesso aos serviços de saúde. Atenção Primária à Saúde. Integração de sistemas. Câncer de colo do útero.A cirurgia é um pilar fundamental no tratamento do câncer ginecológico, com o objetivo de remover o tumor o mais completamente possível. As técnicas cirúrgicas evoluíram consideravelmente, oferecendo opções minimamente invasivas e preservadoras da fertilidade. Crioconservação de oócitos: Coleta e congelamento de óvulos antes do tratamento para serem utilizados em fertilização in vitro após a cura do câncer.Transposição ovariana: Reposicionamento de um ovário saudável para outro local do corpo antes do tratamento, protegendo-o da radiação ou quimioterapia.Cirurgia conservadora: Preservação do útero ou trompas de Falópio, quando possível, mesmo em mulheres com câncer.

Downloads

Publicado

2024-04-01

Edição

Seção

Artigo Original