IMPACTO DA DIABETES NA CIRURGIA DE EMERGÊNCIA: ABORDAGENS DE CONTROLE GLICÊMICO

Autores

  • Bruno Cavalcante Frota

DOI:

https://doi.org/10.36692/V16N2-19

Resumo

O diabetes mellitus (DM) é uma condição crônica não transmissível que representa um desafio de saúde para todos os países, independentemente de seu nível de desenvolvimento. As complicações do DM incluem problemas relacionados aos grandes vasos sanguíneos, como doença cardíaca, AVC e problemas vasculares periféricos, bem como complicações microvasculares, como retinopatia, nefropatia e neuropatia. Realizamos um estudo descritivo e quantitativo sobre hospitalizações por DM de janeiro de 2020 a maio de 2023, utilizando dados do Sistema de Informação Hospitalar do Sistema Único de Saúde (SIH/SUS). Foram registradas 445.416 hospitalizações e 19.998 óbitos relacionados ao DM, com custos hospitalares acima de 351 milhões e uma média de permanência de 7,12 dias. Observamos um aumento anual significativo no número de hospitalizações, custos e óbitos devido a complicações do DM, resultando em impactos financeiros consideráveis para o sistema de saúde. A diabetes mellitus (DM) representa um desafio significativo no contexto da cirurgia de emergência, aumentando o risco de complicações e morbimortalidade. O controle glicêmico adequado é crucial para minimizar esses riscos e otimizar os resultados nos pacientes diabéticos submetidos a procedimentos cirúrgicos urgentes.O controle é fundamental para minimizar os riscos de complicações e melhorar os resultados nos pacientes diabéticos submetidos a cirurgia de emergência. A implementação de estratégias eficazes de controle glicêmico.

Downloads

Publicado

2024-04-01

Edição

Seção

Artigo Original